Teorias sobre a Origem da Vida na Terra

Através dos séculos, apareceram várias hipóteses sobre a origem da vida na Terra.

Aristóteles no século IV a.C. acreditava na existência de certos princípios ativos ou forças vitais no surgimento da vida a partir de substâncias inanimadas. Surgindo assim a teoria da abiogênese ou geração espontânea (Crença de que a vida poderia surgir a partir de água, lixo, sujeira e outros restos).

Francesco Redi no século XVII, procurando dar uma base experimental à teoria da geração espontânea, elaborou a teoria da biogênese, que defendia a idéia de que a vida só poderia surgir a partir de uma vida pré-existente.

Neste mesmo século  um naturalista chamado Anton Van Leeuwenhoek, acidentalmente construindo microscópios, relatou a presença pela pirmeira vez de bactérias, que se multiplicavam numa gota d’água, “ressuscitando” assim a teoria da abiogênese. O inglês John Needham aqueceu uma “mistura” e colocou  em alguns tubos de ensaio. Em seguida aqueceu-os e fechou. Após alguns dias  os tubos estavam cheios de organismos. Querendo assim provar  que a idéia de geração espontânea continuava válida.

Na mesma época, as idéias do inglês foram combatidas pelo italiano, Lazzaro Spallanzani, que repetiu a experiência desta fechando os tubos e fervendo os caldos no interior. Neste caso, em horas depois não havia aparecido qualquer tipo de organismos dentro do tubo. Needham criticava as idéias de Spallanzani, dizendo que ao fechar os caldos, ele havia matado o princípio vital.

Apenas na segunda metade do século passado, Louis Pasteur, cientista francês derrubaria de vez as idéias de geração espontânea. Como experimento, ele preparou  um caldo e o colocou em dois tipos de frascos:

- Alguns frascos tinham um longo pescoço reto;

- Outros, além do longo pescoço eram curvos, com a forma de um Pescoço de cisne.

Pasteur ferveu todos os frascos e deixou todos abertos. Ele queria assim mostrar que ar poderia entrar livremente em todos eles.

Resultado: Somente os frascos de pescoço retos apresentavam microrganismos no caldo em seu interior. Os de “pescoço de cisne” permaneceram estéreis o resto do tempo. A partir de observações anteriores, Pasteur teve certeza de que o ar continha inúmeros microorganismos. E que eles contaminavam os caldos de cultura, sendo assim, eles não surgiam a partir do caldo.

Como a teoria da abiogênese foi derrubada, novas teorias foram surgindo, como é o caso da Teoria Cosmozóica, várias hipóteses que nunca se transformaram em uma teoria propriamente dita. Nesta teoria, a vida teria aparecido na Terra pela proliferação de microrganismos que viajaram no espaço e teriam caído então no solo terrestre. Estas hipóteses foram logo refutadas, sabendo que nenhum microrganismo poderia sobreviver no espaço sideral, sujeito à radiação ultravioleta, raios cósmicos e baixíssimas temperaturas. Além disso, seria impossível chegar a Terra dentro de meteoritos, sendo que estes quando entram na atmosfera terrestre, quase sempre se pulverizam.

O russo Aleksandr Oparin no século XX elaborou a teoria de Oparin (teoria naturalista), que se baseia nas seguintes afirmações:

1.  No surgimento da Terra, a atmosfera não continha oxigênio livre, mas era rica em metano (CH4), amônia (NH3), hidrogênio (H2) e vapor de água (H2O).

2.  A temperatura ambiente era muito alta e a atmosfera seria cheia de raios ultravioletas e centelhas elétricas, que teriam alterações nos gases da atmosfera. Estas alterações teriam originados moléculas orgânicas compostas e complexas, que poderiam ter originado os aminoácidos.

A partir deste evento, seguem-se as etapas representadas no esquema:

Atualmente as Teorias mais aceitas são:

A Teoria Evolucionista e a Teoria Criacionista.

Criacionismo – A questão sobre as origens do homem remete um amplo debate, no qual filosofia, religião e ciência entram em cena para construir diferentes concepções sobre a existência da vida humana e, implicitamente, por que somos o único espécime dotado de características que nos diferenciam do restante dos animais.

Desde as primeiras manifestações mítico-religiosas o homem busca resposta para essa questão. Neste âmbito, a teoria criacionista é a que tem maior aceitação. Ao mesmo tempo, ao contrário do que muitos pensam, as diferentes religiões do mundo elaboraram uma versão própria da teoria criacionista.

A mitologia grega atribui a origem do homem ao feito dos titãs Epimeteu e Prometeu. Epimeteu teria criado os homens sem vida, imperfeitos e feitos a partir de um molde de barro. Por compaixão, seu irmão Prometeu resolveu roubar o fogo do deus Vulcano para dar vida à raça humana. Já a mitologia chinesa atribui a criação da raça humana à solidão da deusa Nu Wa, que ao perceber sua sombra sob as ondas de um rio, resolveu criar seres à sua semelhança.

O cristianismo adota a Bíblia como fonte explicativa sobre a criação do homem. Segundo a narrativa bíblica, o homem foi concebido depois que Deus criou céus e terra. Também feito a partir do barro, o homem teria ganhado vida quando Deus assoprou o fôlego da vida em suas narinas. Outras religiões contemporâneas e antigas formulam outras explicações, sendo que algumas chegam a ter pontos de explicação bastante semelhantes.

Evolucionismo – A teoria evolucionista é fruto de um conjunto de pesquisas, ainda em desenvolvimento, iniciadas pelo legado deixado pelo cientista inglês Charles Robert Darwin. Em suas pesquisas, ocorridas no século XIX, Darwin procurou estabelecer um estudo comparativo entre espécies aparentadas que viviam em diferentes regiões. Além disso, ele percebeu a existência de semelhanças entre os animais vivos e em extinção.

A partir daí ele concluiu que as características biológicas dos seres vivos passam por um processo dinâmico onde fatores de ordem natural seriam responsáveis por modificar os organismos vivos. Ao mesmo tempo, ele levantou a idéia de que os organismos vivos estão em constante concorrência e, a partir dela, somente os seres melhores preparados às condições ambientais impostas poderiam sobreviver.

Contando com tais premissas, ele afirmou que o homem e o macaco teriam uma mesma ascendência a partir da qual as duas espécies se desenvolveram. Contudo, isso não quer dizer, conforme muitos afirmam que Darwin supôs que o homem é um descendente do macaco. Em sua obra, A Origem das Espécies, ele sugere que o homem e o macaco, devido suas semelhanças biológicas, teriam um mesmo ascendente em comum.

A partir da afirmação de Charles Darwin, vários membros da comunidade científica, ao longo dos anos, se lançaram ao desafio de reconstituir todas as espécies que antecederam o homem contemporâneo. Entre as diferentes espécies catalogadas, a escala evolutiva do homem se inicia nos Hominídeos, com mais de quatro milhões de anos.

O Homo habilis (2,4 – 1,5 milhões de anos) e o Homo erectus (1,8 – 300 mil anos) compõem a fase intermediária da evolução humana. Por fim, o Homo sapiens neanderthalensis, com cerca de 230 a 30 mil anos de existência, antecede ao Homo sapiens, surgido há aproximadamente 120 mil anos, que corresponde ao homem com suas características atuais.

Mesmo cercada por uma larga série de indícios materiais sobre as transformações da espécie humana, a teoria evolucionista não é uma tese comprovada por inteiro. O chamado “Elo Perdido”, capaz de remontar completamente a trajetória do homem e seu primata original, é uma incógnita ainda sem resposta.

Conclusão

As curiosidades do homem provem desde os primórdios de sua história até os anos atuais, seu entusiasmo e sua duvida pelo inexplicável, sobrenatural e para alguns até mesmo surreais, obviamente sempre foram assuntos que fascinaram a humanidade, tudo deve ser investigado com todo cuidado possível sem preconceitos e sem paradigmas, para que assim possamos ter conclusões para os nossos ideais. Alguns tentam entender a complexidade de Deus, outros simplesmente querem negar a sua existência. Mas o que sabemos é que, em ambos os casos, tudo parte do interesse em comum do homem em buscar respostas a sua curiosidade.

Existi a possibilidade de muitas delas serem verdadeiras e caminharem juntas?

Acredito eu que sim… Para sabermos tal respostas é necessario abandonarmos nosso ceticismo e nossos dogmas para ir totalmente em busca de respostas de modo a não traçar o mesmo caminho que outro traçou mas seguir por um caminho novo constituido pelo seu proprio conceito, afinal não foi assim descobrimos e moldamos coisas novas!?

    • Juliana Martins
    • 25 julho, 2011

    Olá quando eu estava na 6 serie eu apreni sobre isso (Teoria da Origem da vida )
    tive uma prova e acertei todas
    bjos

    • Juliana Martins
    • 25 julho, 2011

    Olá quando eu estava na 6 serie eu aprendi sobre isso (Teoria da Origem da vida )
    tive uma prova e acertei todas
    bjos

  1. vlw vc me ajudo muito

    • victoria
    • 13 maio, 2012

    eu setou adimirada com tudo isso!

  2. Eu acredito no Adão e eva , ta na cara que foram eles que criaram o mundo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: