Fuso Horarios

As zonas horárias ou fusos horários são cada uma das vinte e quatro áreas em que se divide a Terra e que seguem a mesma definição de tempo. O termo fuso refere-se a uma velha peça de relógio onde a corda enrolava-se. Anteriormente, por volta de 1300 ou já antes, usavam-se o tempo solar aparente, passagem meridiana do sol, de forma que a hora do meio do dia se diferenciava de uma cidade para outra. Os fusos horários corrigiram em parte o problema ao colocar os relógios de cada região no mesmo tempo solar médio.

Os fusos horários geralmente estão centrados nos Meridianos das Longitude que são múltiplos de 15°, no entanto, as formas dos fusos horários podem ser bastante irregulares devido às fronteiras nacionais dos vários países ou devido a questões políticas (caso da China, que poderia abranger algo como 4 fusos horários, mas obriga todo o país a utilizar o horário de Pequim com evidentes distorções no oeste chinês, onde quando não é inverno o sol nasce por volta das nove horas da manhã).
Todos os fusos horários são definidos em relação ao Tempo Universal Coordenado (UTC).

Historia

Grande parte das empresas, devido a estas irregularidades, resolveram fixar cem fusos dos caminhos de ferro. Esta prática ocorreu até 1883.

Na Grã-bretanha, foi criada uma única hora legal para todo o país (Inglaterra, Escócia e País de Gales), sendo o autor original desta ideia o Dr. William Hyde Wollaston. Com isto, a prática foi se popularizando.

Great Western Railway, foi a primeira companhia de trem a utilizar a hora Greenwich Mean Time (GMT) ou Tempo Médio de Greenwich. Em 1847, praticamente todas utilizavam este sistema.

O senador do Canadá, Sanford Fleming, em 1878, sugeriu um sistema internacional de fusos horários. Seu pensamento era dividir a Terra em 24 faixas verticais, onde cada uma delas era um fuso de uma hora. Em 1879, o estudo foi publicado no jornal do Instituto do Canadá de Toronto. Com a aprovação norte-americana, em 18 de novembro de 1883, as linhas de trem passaram a utilizar os fusos.

Em 1894, foi realizado a Conferência Internacional do Primeiro Meridiano, em Washington D. C., Estados Unidos. A proposta era padronizar a utilização mundial da hora legal. Acabou sendo aceito a teoria de Fleming. A longitude 0° passaria pelo Observatório Real de Greenwich. Os outros fusos seriam contados positivamente para leste, e negativamente para oeste, até ao Meridiano de 180º – o Anti-Meridiano, situado no Oceano Pacífico, onde seria a Linha Internacional de Data.

Fusos Especiais

Antártida – O fuso horário oficial da Antártica é único, o GMT 0.00, de Greenwich, Londres. É, porém, comum que nas bases instaladas no continente, seja adotado o horário do país sede da base.

Fusos 1/2 hora

Há dez fusos horários com defasamento de X.1/2 em relação a o GMT 0, de Greenwich (sendo X um número inteiro de 1 a 12):

GMT + 3.1/2 – Irã
GMT + 4.1/2 – Afeganistão
GMT + 5.1/2 – Índia
GMT + 6.1/2 – Mianmar
GMT + 9.1/2 – Território do Norte – Austrália
GMT + 10.1/2 – Austrália Meridional – Austrália
GMT + 11.1/2 – Ilha Norfolk
GMT – 3.1/2 – St. John’s – Canadá
GMT – 4.1/2 – Venezuela
GMT – 9.1/2 – Arquipélago das Marquesas na Polinésia Francesa

Fusos 3/4 hora

Há três fusos horários com defasamento de X.3/4 (Xh 45 min):

GMT + 5.3/4- Nepal
GMT + 8.3/4 – Caiguna e Eucla na Austrália Ocidental, Austrália
GMT + 12.3/4 – Ilhas Chatham – Nova Zelândia

Fusos > +12 GMT

Além do já citado de Cathan, há dois fusos horários maiores do que GMT +12, estabelecidos em 1994 com a eliminação do dia 31.12.1994.

GMT +13 – Ilhas Phoenix em Kiribati (era GMT -11); também em Tonga
GMT +14 – Espórades Equatoriais, em Kiribati (era GMT -10)

Marítimos

Os fusos horários marítimos foram esbelecidos em 1920 e são considerados por embarcações quando em Alto mar, não incluídas aí as Águas territoriais dos países, ilhas, territórios de ultramar, etc. São fusos ditos “ideais”, pois seguem exatamente os Meridianos. O horário deve ser adiantado ou atrasado em uma hora, cada vez que um dos meridianos múltiplos de 15° (+/-7° 30′) seja cruzado.

Cálculo aproximado

O planeta Terra possui forma geóide com circunferência de 360°, ou seja, para cada hora a fatia dividida terá 15°. A determinação dos fusos é dada pelo meridiano 0 na cidade de Greenwich, próxima a Londres. Desta forma, de quinze e quinze graus à leste, os fusos são numerados positivamente (+1, +2, +3…+12) e a oeste negativamente (-1, -2, -3…-12).

Para saber o horário de alguma cidade é necessário conhecer o meridiano que está e a posição em relação à Greenwich (leste ou oeste). O cálculo é feito através da verificação dos fusos no mapa, subtraindo o menor do maior. E atentando para o jogo de sinais. Depois, deve ser somado esta diferença a hora legal se estiver a leste e subtraido caso esteja em oeste.

(Fuso maior) – (Fuso menor) = Diferença de fusos +/- hora legal

Principais siglas

GMT: Greenwich Mean Time (Tempo Médio de Greenwich) – Refere-se à Greenwich, onde ficou definido por convenção, a base para cálculo internacional de horário.

ST: Standard Time (Tempo Padrão) – Hora oficial em cada fuso horário.

DST: Daylight Saving Time or Summer Time (Horário de verão) – Alteração do horário de uma região, designado apenas durante uma porção do ano, adiantando-se em geral uma hora no fuso horário oficial local.

UTC: Universal Time Coordinated (Horário Universal, tempo civil) – Os fusos horário são relativos a ele.

UT: Universal Time (Tempo Universal) – Usado em astronomia, tem por base a rotação da Terra.

IAT: International Atomic Time (Tempo Atômico Internacional) – Sua base são os relógios atômicos.

A.M./P.M.: Ante Meridian/Post Meridian (latim) (Antes do meio dia/Após o meio dia) – Usados em povos que consideram um ciclo de 12 horas.

HL: Hora Legal – Hora oficial do país.

Extensões

Os limites entre fusos horários, como é bem conhecido, não seguem necessariamente os meridianos múltiplos de +/- 15°. Seguem fronteiras políticas entre nações, províncias, estados dentro dos países, convenções e definições dos países.

Porém, para facilitar o entendimento e sem se prender a fronteiras políticas, pode-se considerar que na linha do Equador cada fuso (15°) apresenta uma largura média da ordem de 1667 km.

Os fusos vão tendo reduzida sua largura média, a medida que se aproximam dos Pólos. Assim, nos trópicos de Câncer e Capricórnio essa largura média dos 15° de cada fuso seria da ordem de 1529 km.

A extensão leste-oeste dos fusos é, na altura dos Paralelos 30° Norte e 30° Sul, de cerca de 1443 km. Nas Latitudes 50° Norte e 50° Sul os fusos apresentam largura média de 1071 km.

Na proximidade dos polos, Latitudes 80° Norte e 80° Sul, a largura de cada fuso é de apenas 289,4 km.

“Jet lag”

O jet lag (também conhecida por doença do fuso horário) é a perda de ritmo e concentração ao se passar por fusos horário diferentes em pouco tempo. Seu sintomas consistem em irritabilidade, cefaléia, taquicardia e alteração dos padrões de sono e fome. Esse tipo de alteração ocorre devido às mudanças de hábitos (hora de comer e de dormir, por exemplo). Os efeitos do jet lag são mais evidentes quando a diferença de horário entre o ponto de saída e o destino é superior a quatro horas. São necessários, em média, um dia de descanso para cada hora de diferença.

FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fuso_hor%C3%A1rio

  1. Great post. I am facing many of these issues as well..

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: