Gravitação Universal

De todos os conceitos de gravidade, a gravitação universal é um dos mais importantes. A gravitação universal é uma força fundamental de atração que age entre todos os objetos por causa de suas massas, isto é, a quantidade de matéria de que são constituídos.

A gravitação é responsável por prender objetos à superfície de planetas e também, de acordo com as leis do movimento de Newton, por manter objetos em órbita em torno uns dos outros.

Newton escreveu numa das suas memórias que na altura em que estava a tentar compreender o que mantinha a Lua no céu, viu uma maçã cair no seu pomar e compreendeu que a Lua não estava suspensa no céu mas sim que caía continuamente, como se fosse uma bola de canhão que fosse disparada com tanta velocidade que nunca atinge o chão por este também “cair” devido à curvatura da Terra.

Segundo a terceira lei de Newton, quaisquer dois objetos exercem entre si, uma atração gravitacional um sobre o outro de igual valor e sentido oposto.

A essa força devemos a explicação de muitos fenômenos essenciais para sobrevivência humana, tais como: A terra orbitando o sol, por exemplo. Explica também a lua e seus efeitos sobre as marés. O mecanismo é dado da seguinte maneira: a lua atrai a Terra e conseqüentemente a água sobre sua superfície. Porém o ponto de equilíbrio da Terra, tomando esta como uma esfera perfeita, localiza-se no centro. Além de se fazer necessário considerar os vários níveis de profundidades da água. Assim, a água mais próxima a lua é atraída com mais intensidade que a mais afastada. Somando estes fatores com a capacidade diferencial da água em relação à Terra de fluir, temos assim a combinação de tais conceitos que formam as marés.

Curiosidade

A força de atração gravitacional entre a Terra e a Lua é uma força centrípeta, ou seja, tem direção para o centro da trajetória, então porque a Lua não colide com a Terra?

Uma força centrípeta, apesar de apontar para o centro, não produz movimento no sentido em que é aplicada e sim perpendicularmente à direção de sua aplicação, e isso faz com que a Lua tenha velocidade tangente á circunferência que ela descreve. Isso vale para todo movimento circular, como o do elétron em torno do núcleo do átomo e até mesmo ao movimento de translação dos astros.


  1. Ponto FIS

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: