Comentário sobre “George Carlin – Save the planet”

Está semana recebi um vídeo intitulado – “George Carlin – Save the planet”, neste vídeo o palestrante levantava uma crítica ao modo como os ambientalistas e ecologistas dizem estarem tentando “salvar o mundo”.

Abaixo segui o vídeo:

A partir desse mesmo vídeo três questões foram levantadas, as quais minhas respostas seguiram abaixo:

1) Qual a mensagem central que o palestrante quer passar para o público?

2) Qual a diferença entre a opinião do palestrante e a opinião dos ecologistas?

3) Qual a sua opinião a respeito?

 

1)    O palestrante faz uma crítica ao modo como os ambientalistas e os ecologistas tentam “salvar o mundo”, de acordo ao palestrante o mundo não precisa ser salvo, nos é que precisamos. Para este o mundo é um sistema que se auto-corrige e que já passou por tormentas maiores que os as que passa com a presença dos seres humanos, sendo assim, o mesmo irá se recuperar quando estes se forem. Portanto, nos seres humanos que nos auto intitulamos “seres superiores”, não passaremos de um erro evolutivo, um “caminho sem saída”, o mundo de regenera e tenta corrigir esse erro. O palestrante também compara o mundo a um organismo e as pessoas aos “vírus” que invadem o corpo. Em consequência o mesmo tenta se livrar do agente através dos anticorpos, seriam este ultimo, a natureza se virando contra a humanidade.

2)    O palestrante considera o objetivo dos ambientalistas em querer salvar as espécies da extinção um erro, por está intervindo e tentando controlar a natureza, além de um ato inútil, pois a cada dia de “amanhã” cerca de 25 espécies de “ontem” somem. O mesmo também considera que os ecologistas não estão preocupados em salvar o planeta e que no fundo eles só pensam em se mesmos e que latas de alumínio ou plástico não são de fato um problema para a sobrevivência do planeta e sim um problema para a sobrevivência dos próprios seres vivos. O ecologista por sua vez, defende a idéia de que salvar a espécie e conservar a natureza é essencial para sobrevivência do planeta, pois este está “doente” e a cada dia perde um pouco da sua essência e portanto da sua vida.

3)    A visão do palestrante é no mínimo interessante e nos chama a atenção para um ponto de vista real, não estamos lutando para sobrevivência do planeta, estamos lutando para a manutenção da vida no planeta e em casos extremos pela nossa sobrevivência. No entanto, isso não é motivo para nos preocuparmos menos com o que fazemos, só porque não é o planeta que vai morrer não quer dizer que seja natural jogar alumínio, plástico ou qualquer outro tipo de material a míngua no meio ambiente, além do que, se a manutenção da vida é o que está em jogo, cuidar do meio ambiente e das espécies se torna um fator fundamental para este fim. Realmente estamos intervindo na natureza fazendo tais coisas, mas nem sempre intervir em determinados processos, mesmo processos naturais, significa que estamos destruindo a mesma, muito vezes intervir é algo necessário para a manutenção da vida. O que seria de nós sem as diversas intervenções que sofremos ao longo dos anos? Será que possuiríamos tantos avanços na medicina por exemplo, que prolonga-se a vida de milhões de pessoas ao longo dos anos, será que a própria humanidade estaria viva nos dias de hoje?

Fica aos leitores a reflexão.

  1. Bastante interessante e até criativo a crítica dele. Discordo de alguns pontos, acho que detalhes fazem toda a diferença e na organização do planeta isso também se aplica pra mim. Devemos sim cuidar de coisas pequenas. Quanto à preservação dos animais, a maior parte dos casos atualmente, a priori, são por causa da caça e da pesca predatória, ou seja, nós mesmos estamos extinguindo os animais. Então, é preciso por fim a tais atos e preservar o naturalmente finito que tiramos da natureza.
    Quando ele fala “A Natureza nos criar para que criemos o plástico para ela” e “O plástico é natural pois vem da natureza”, está sendo de alguma forma ignorante. Claro que o plástico é feito de materias da natureza, mas é ARTIFICIAL a medida que nos MANIPULAMOS ESSES PRODUTOS NATURAIS para fazer algo sintético, tóxico ao meio ambiente. Pra que a natureza vai precisar do plástico ou de qualquer outra coisa artifical? Pra quê?

    • Um interessante comentário!
      Muito provavelmente o que o autor queria dizer, era que para tudo existe um motivo, e que o motivo para estarmos aqui poderia ser a necessidade da natureza em adquirir algo, que não pudesse ser produzido por ela mesma sozinha.
      Concordo de que isso não é razão para deixar as coisas da maneira que estão, mas também concordo de que não é o planeta que precisaria ser salvo, e sim os seres humanos, que através de muitas de suas ações, vem agredindo o ecossistema que tanto contribui para sua própria existência.

  2. Seu comentário foi excelente! A ideia do palestrante, embora de forma cômica, nada mais é do que a pura verdade! Essa é a minha opinião!

  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: